terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais." (Caio Fernando Abreu)

Nenhum comentário:

Postar um comentário